O PINTOR

Edições Asa, 2004

Um atraente desconhecido aparece numa pequena aldeia costeira e, apesar do seu aspecto de vagabundo, calças de ganga deformadas e t-shirt amarrotada, é surpreendentemente aprazível e educado. Num lugar onde algo de extraordinário raramente acontece, a sua presença chama a atenção e torna-se rapidamente o centro de atenção. Os seus olhos verdes são bondosos, o seu sorriso amigável e, numa voz suave e cativante, encoraja com subtileza as pessoas a falarem delas próprias. É bom ouvinte mas revela pouco sobre si para além de que é pintor retratista e, como se a corroborá-lo, debita intermináveis curiosidades acerca da vida de artistas famosos de todos os tempos.

Considerado como um criativo excêntrico e solitário pelos locais, é amiúde visto na praia, aparentemente a desenhar, de olhar fixo no mar ou a dormitar. As suas teorias sobre a vida e as relações afectivas é cativante e, mesmo quando confessa estar falido perante aqueles a quem deve, nenhum parece ficar particularmente preocupado… Como forma de liquidar as dívidas, oferece-se para lhes pintar o retrato e todos ficam entusiasmados com a perspectiva. Mas quão bom pintor é o carismático desconhecido?

"Pelo seu fino sentido de observação, pela sua erudição exemplarmente utilizada e destreza com que se move na escrita, a autora confirma uma mestria já anteriormente demonstrada nos seus livros e surpreende pela inegável capacidade de usar a ironia como modo estruturante de construir uma narrativa." Maria João Cantinho, www.storm-magazine.com  04.06.04

© 2020 Ana Nobre de Gusmão. Created by Castelero Design.